Tag Archives: OEs

Estudos dos Óleos Essenciais – Fichas, fichas, FICHAS!

19 jan

homepage-main-02Pra começar bem o ano, vamos organizando as coisas. Não tenho muita paciência para as arrumações, mas às vezes consigo. E com os meus preciosos óleos, estou tentando manter isso.

Há alguns anos tenho contato cada vez mais estreito com os óleos essenciais (OEs). E venho aos poucos adquirindo novos OEs e estudando sobre eles. Mas não sou uma pessoa organizada para documentar todo esse estudo e tê-lo à disposição quando preciso.

Uma pessoa especial me falou há muito tempo da necessidade de conhecer bem os OEs ao usá-los. E depois vi que vários (se não todos) perfumistas estudam os óleos essenciais através de fichas. Conhecer todos os aspectos, desde a planta, onde e de que forma ela é cultivada, qual o processo de produção do OE, aspectos de aromaterapia, perfumaria, culinária, entre outras coisas. É necessário se munir de todas as informações possíveis, e ter em mãos tudo isso na hora de usar o óleo, ou mesmo de fazer algum projeto com ele (o que fica muito mais fácil quando já se sabe as notas olfativas, as combinações mais harmoniosas, os benefícios dos aromas, etc.).

A ideia, então, é organizar da melhor forma possível os estudos dos OEs. E pra isso, deve-se fazer uma série de fichas, uma para cada frasquinho de OE que se venha a adquirir. Pra cada frasco! Não pra cada espécie. Porque mesmo que eu tenha 2 frascos de OE de pachouli, por exemplo, eles podem ter muitas diferenças: Podem ser cultivados em países diferentes, podem ser frescos ou envelhecidos, serem de marcas diferentes (e há de se ter o cuidado de analisar muito bem a confiabilidade da marca, porque existe muito OE adulterado e de má qualidade pro aí)… nossa, são muitas possiblidades pra cada frasquinho. E daí, tendo a ficha como base, procura-se todas as informações para preenchê-la.

E como eu quero desenvover o meu estudo de óleos essenciais para várias finalidades distintas, minhas fichas de OE ficam cada vez com mais itens. Eu estudo a vertente da perfumística, de aromaterapia,  pequenas misturas para perfumar cosméticos, a parte do cultivo da planta e da destilação (porque agora estou trabalhando com destilação de OE!! =)), e adoro qualquer outra curiosidade que encontro sobre esse assunto. E tudo vai deixando a ficha mais completa.

Bom, aqui vai o meu modelo de ficha, o que funciona pra mim. Como os interesses nos OEs são os mais variados, há de se adaptar a ficha para cada necessidade.

Modelo de ficha de óleo essencial

E outra dica. Esses são alguns sites onde faço boas pequisas para as minhas fichas:

http://www.oleosessenciais.org

www.aromasessenciais.com.br

www.quinari.com.br

Olha, tenho a dizer que eu não imaginava que as fichas eram tão uteis, até tê-las todas pra organizar minha pequena coleção de OEs. Consulto elas em cada novo projeto que invento, um creminho pra pés, um óleo para massagem, um cheirinho para estimular os estudos; e é ótimo ter todas as informações ali disponíveis na hora da criação.

E é incrível ser organizada. Aos poucos vou aprendendo (hahaha).

E voês, usam óleos essenciais, fazem alguma organização das informações sobre eles?  Vamos dividir!?

Beijos!

Cris

Repelente natural e artesanal

16 fev

Nos preparativos para o festival Psicodália que rola a partir de amanhã, e durante todo o carnaval, num sítio em Rio Negrinho, aqui em Sta. Catarina.

Há um tempo já estava querendo preparar um repelente, que é “levemente”necessário aqui onde moro. E também tinha pensado em deixar disponível pro pessoal do Psicodália, já que lá tem muito mato, água e, claro, mosquito.  Depois de alguns testes, findo então:

O Repelente Natural e Artesanal!

Com extrato de citronela e oleos essenciais de citronela, capim-limão e copaíba

Mesa de fabricação do rótulo do repelente natural e artesanal

O extrato de citronela foi feito com as folhas que eu mesma colhi, da planta que eu mesma plantei, e junto com os óleos essenciais, forma o “princípio ativo”do repelente. Os óleos essenciais foram cautelosamente estudados para que tivessem o efeito esperado pelo maior tempo possível, e sem agredir a pele. Óleos vegetais obtidos por prensagem a frio mantém boa parte das propriedades das plantas, e fazem muito mais bem para a pele (e para todo o corpo, quando ingeridos) do que o óleo refinado. Nessa receita os óleos vegetais trazem a hidratância necessária pra suprir o ressecamento que o álcool naturalmente provoca.

A composição do Repelente:

Extrato alcoolico de citronela

Extrato alcoolico de alecrim

Óleo vegetal prensado a frio de girassol

Óleo vegetal prensado a frio de avelã

Óleo essencial de citronela

Óleo essencial de capim-limão

Óleo essencial  de copaíba

Álcool de cereais

Água.

Atenção: Nunca aplique sobre o rosto (perigo de reações alérgicas) ou sobre a roupa (possibilidade de manchar).

Lembre-se de agitar antes do uso.

O repelente é eficaz ao usar sobre a pele ou em pequenos ambientes, como as barracas do acampamento. ^^

Se ficou com vontade de adquirir, estarei lá pelo Psicodália com eles à disposição, e após o feriado de carnaval, podemos conversar aqui pela internet.

Os frascos são plásticos cor de âmbar, com volume de 100ml, com válvula spray. E serão vendidos pelo preço de R$12,00.

E sim, o líquido é verde e tem aroma de citronela.

=)

O cheirinho do armário fechado, e sobre como combatê-lo

28 jan

Olá!!

Depois de um longo tempo, cá estou novamente.

Após boas doses de estudo, fiz o vestibular, e passei! Em março começo minha segunda graduação: Química. E se tudo correr como imagino, em 4 anos estarei formada (isso se não mudar pra Farmácia no meio do caminho. A dúvida ainda impera).
Então poderei atuar oficialmente nessa área. =)

Tenho feito algumas coisas no laboratorinho nesse tempo todo, mas faltou um tantinho de tempo pra organizar um bom post. Bem, vamos ao que vim.

Tirando o mofo dos armários!

Moro em uma casa que é um tanto úmida, não bate sol nos quartos por muito tempo durante o dia, e o mofo impera nos guarda-roupas. Há um bom tempo, minha mãe e eu viemos pensando em soluções para melhorar a situação, e criamos um plano de batalha, que começamos a colocar em prática essa semana.

Tudo começa tirando tudo de dentro do armário, deixando arejar bem, e colocando as peças possíveis (como gavetas e tábuas das prateleiras) no sol.
Então entra em cena um preparado feito há cerca de duas semanas: Um vinagre com ervas. Nada de muito difícil. Fiz assim:

  • Um vidro limpo com tampa bem vedada.
  • Ervas e temperos cheirosos (aqui entram chás e especiarias que te apeteçam, tudo que tenha cheiro bom e ajude no fator limpeza. O que colocares nessa infusão, além de mascarar um pouco o cheiro do vinagre, que não é lá essas coisas, vai ficar também no armário, o que o deixará já mais perfumoso e na maioria dos casos ajuda no combate aos fungos) – eu usei alecrim, hortelã, cravo, canela e citronela | Aprox. 1 xícara de chá ao todo
  • Vinagre comum | Meio litro (Coloque sempre depois das ervas e certifica-te que não há ervas acima do nível do vinagre, o que pode rançar a receita)
  • Óleo essencial de capim-limão e eucalipto (tea tree também é ótimo, ou qualquer outro OE cheirozinho que tenha qualidades anti-sépticas) | 10 a 15 gotas de cada

Pronto. Mistura bem, deixa num armário protegido do sol, e em cerca de duas semanas está no ponto para uso. Coa, coloca num vidro com válvula spray e vamos ao ataque!

Passe muito, muito bem em todo o interior do armário, gavetas, parte interna das portas, embaixo das prateleiras, tudo. Espere secar (essa fase pode ser auxiliada por um bom ventilador), e repita esse processo. O cheiro do vinagre sai assim que ele seca, fique tranquilo.
Quando estiver seco, coloque gavetas e prateleiras no lugar e arrume as roupas, ou o que você guarda no armário.

Agora vem a parte da manutenção, e aí entram aqueles famosos sachêzinhos. O esquema que vou mostrar aqui é com uma dupla de trouxinhas, com “recheios” diferentes, e funciona bem se feito desse jeito. É assim:

  • Sachê 1:

Faça uma mistura de especiarias da sua preferência. Eu usei canela, aniz-estrelado, alecrim, lavanda, hortelã, rosas e calêndula, Mesmo usando pouco, o aroma da canela se sobressaiu, cuide com ela.
\Imagem

Dependendo do que usar, o sachê irá emanar mais ou menos aroma. É uma questão de gosto pessoal, não esqueça que suas roupas ficarão com esse cheirinho. Caso suas ervas escolhidas resultem numa mistura sem muito cheiro, coloque umas gotinhas de um óleo essencial nas folhas. O clássico usado pra isso é lavanda, e fácil de encontrar. Penso em colocar OE depois de um tempo, quando o aroma das minhas especiarias não aparecer mais.

Imagem

Use de preferência um tecido de algodão e trama larga. Eu cortei esse no formato redondo, e resolvi o fechamento só com uma fitinha de cetim. Facinho, sem nada de costura ou colagem. Simples e bonitinho.

  • Sachê 2:

Giz escolar ou carvão vegetal, bem seco.
O mesmo tecido do outro sachê. Fecha e pronto.

Coloque um sachê em um dos cantos do armário, e o outro no extremo oposto. Nunca juntos! A ideia é a seguinte: O carvão e o giz puxam a umidade e tudo que tiver livre no ar, então além da umidade, ele vai puxar o aroma das especiarias do outro sachê. Se eles estiverem em cantos opostos, o aroma do primeiro sachê se desprende em direção ao giz/carvão, e nesse caminho passa por todas as suas roupas, deixando esse aroma por lá. Ótimo, não?

Dá pra usar esses parzinhos de sachê em cada gaveta e prateleira também, não precisa ser um par apenas por armário

Para revitalizar o sachê de ervas a cada semana dê leves apertadinhas para soltar mais aroma. E a cada dois meses, pingue algumas gotinhas de óleo essencial. (tudo é relativo…). E com o sachê de giz ou carvão, perceberás que ele vai ficando úmido. Quando isso acontecer, ponha ao sol por uma tarde, ou – se for demais – troque o material.

Outra coisa, em armários de cozinha dá pra fazer também. Só cuide pra que ele não fique com o cheiro do guarda-roupa, escolha as ervas e óleos essencias condizentes ao uso.

Simples solução, mas ajuda muito. Espero que possa te ajudar também.

Um beijinho,
Cris.

Ceci | Lote 01-2011

30 jun

Apresentando-lhes: O primeiro sabão feito no laboratório novo.

Ceci.

Com um aroma baseado nos óleos essenciais de cedro e citronela, compondo, com outros, um blend cítrico-amadeirado.

Ceci - com extrato de arruda, carvão vegetal e blend cítrico-amadeirado.

A faixinha escura é efeito de carvão vegetal reduzido a pó. Tintura de alecrim, além de ajudar na aromatização, ajuda na conservação do sabonete. O sumo de arruda traz ao sabonete propriedades adstringentes e anti-inflamatórias, além de uma cor levemente esverdeada.

Ingredientes utilizados:

.Óleo de palmiste

.Azeite de oliva

.Óleo de soja

.Manteiga de cupuaçu

.Cera de abelha

.Hidróxido de sódio

.Tintura de alecrim

.Carvão vegetal

.Sumo de arruda

.Blend de óleos essenciais

Feito em 06/06/2011

Liberado para uso em 04/07/2011

Em breve na lojinha virtual 😉

E lá vamos nós…

22 jun

Oi!
Cris de blog novo…

Faz um bom tempo que estava com essa vontade de escrever um blog, de ter um espaço na internet onde eu possa me expressar, mostrar os meus pensamentos, as minhas coisas. O problema é que são muitas coisas.

Aí não sabia como definir o tema do blog, difícil escolher um assunto só. Tenho tanta coisa pra falar! Por exemplo:  Sou formada em publicidade, e tento entender o porquê de eu gostar tanto da profissão, mesmo ela sendo tão “fria e calculista”, sem ter almejo a um bem maior, sem grandes preocupações sociais. Esse é um tema que gostaria de discutir.

Outra coisa seria a arte de viver bem. As práticas sustentáveis, as atividades que fazem bem para o corpo e pra alma… E aí entram os cosméticos naturais, que estou descobrindo, inventando, aprendendo. Sabonetes orgânicos, creminhos, esfoliantes, pasta de dente, e mais tanta coisa… Os óleo essenciais, a fabricação de perfumes, os incensos…

Poderia falar de música e literatura, que são um prazer. Poderia relatar e dramatizar os sonhos doidos que tenho às vezes…

Mas se eu escolhesse um assunto apenas, os outros todos ficariam de lado, e logo estariam enchendo o saco na minha mente, querendo espaço pra aparecer…
Então resolvi que vou falar de tudo isso. Geminiana que sou, multifacetada, que não consegue ficar parada e fazer uma coisa só, o blog será um reflexo disso. Por esse motivo as Crises, todas essas que me formam.


😉